VANDERLEI LUXEMBURGO

Palmeiras deslanchou no segundo tempo, com três gols de Luiz Adriano, e chegou à 100ª vitória na Libertadores

Palmeiras deslanchou no segundo tempo, com três gols de Luiz Adriano, e chegou à 100ª vitória na Libertadores
Rony, do Palmeiras (Foto: Divulgação) O palmeirense que gostava mais de Deyverson quando jogava Borja e gostava mais de Borja quando jogava Deyverson deve estar tranquilo por finalmente ter um centroavante no qual pode confiar plenamente. Nesta terça-feira, o Palmeiras deslanchou no segundo tempo e venceu o Guaraní por 3 a 1, no Allianz Parque,…

Rony, do Palmeiras (Foto: Divulgação)

O palmeirense que gostava mais de Deyverson quando jogava Borja e gostava mais de Borja quando jogava Deyverson deve estar tranquilo por finalmente ter um centroavante no qual pode confiar plenamente. Nesta terça-feira, o Palmeiras deslanchou no segundo tempo e venceu o Guaraní por 3 a 1, no Allianz Parque, todos os gols marcados por Luiz Adriano, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores.

Luiz Adriano chegou ano passado justamente para solucionar a posição para o Palmeiras e deu bons sinais logo de cara. Chegou a cinco gols em quatro partidas de Libertadores com a camisa verde, contando um contra o Tigres, na primeira rodada desta fase de grupos, e outra diante do Grêmio ano passado.

Foi a 100ª vitória do Palmeiras na Libertadores, oitavo lugar na lista histórica, segundo brasileiro atrás do Grêmio (102), de acordo com o clube paulista. O primeiro colocado é o River Plate, com 170. Ainda tem 34 empates e 52 derrotas, 330 gols marcados e 202 sofridos.

Com uma taxa de acerto de passe que ficou em 59% no primeiro tempo e chegou a apenas 70% no total, o Guaraní ameaçou muito pouco o gol de Weverton. Não havia exigido uma defesa antes de Raúl Bobadilla receber o passe dentro da área e tocar na saída do goleiro, já aos 37 minutos do segundo tempo.

O problema é que o Palmeiras sofreu muito para criar antes do intervalo. A etapa inicial foi marcada por muitos erros, muita correria e um nervosismo acima da conta para uma segunda rodada de fase de grupos e é até difícil citar alguma chance razoável de gol criada pelos anfitriões.

Toda a discussão sobre a melhor posição de Dudu, pelo meio ou pelas pontas, fica um pouco inócua uma vez que durante a maior parte da partida o craque palmeirense buscou os lados para criar, para driblar, para atacar a área, e poucas vezes exerceu de fato a função de um armador.

E foi um pouco pela esquerda, um pouco pelo meio, que Dudu recebeu a cobrança de falta rápida e elevou a bola para Luiz Adriano, dentro da área. Fica até um pouco difícil de entender o que aconteceu, até porque a geração de imagens perdeu o gol, mas parece que o atacante dominou meio no susto e driblou o goleiro Gaspar Servio com um toque de joelho antes de abrir o placar.

O segundo gol foi um pouco mais clássico, com um passe em profundidade de Rony para Luiz Adriano simplesmente bater cruzado. A vantagem no placar permitiu que o Palmeiras entrasse em sua posição mais confortável, desde a passagem de Felipão, e o contra-ataque puxado por Dudu pela esquerda terminou em um centro rasteiro para o camisa 10 palmeirense empurrar às redes.

A formação usada por Vanderlei Luxemburgo, com um quarteto de ataque, ainda precisa de muitos ajustes. Até por Dudu cair tanto pelos lados, e pela fase muito ruim de Ramires, o meio-campo do Palmeiras praticamente não existe. Por enquanto, não foi um problema. São duas vitórias em duas rodadas na Libertadores.

A zaga vacila e o homem não perdoa! 🔥⚽#CentésimaNaLiberta #AlmaECoração #PALxGRN pic.twitter.com/uK0txJ4LzA

— SE Palmeiras (@Palmeiras) March 11, 2020

.

Cara a cara com o goleiro? Caixa! 📦💥#CentésimaNaLiberta #AlmaECoração #PALxGRNpic.twitter.com/kp3MJLGy7K

— SE Palmeiras (@Palmeiras) March 11, 2020

.

.

.

.

Fonte