SÓCIO AVANTI

Luxa fala sobre “DNA” ofensivo e manda recado para torcida do Palmeiras

Luxa fala sobre “DNA” ofensivo e manda recado para torcida do Palmeiras
Apresentado no Palmeiras nesta sexta-feira, Vanderlei Luxemburgo falou sobre as cobranças da torcida e pressão por futebol ofensivo. Após uma temporada sem títulos, há a expectativa por mudanças no estilo de jogo proposto por Felipão e Mano Menezes em 2019. Luxa inicia sua quinta passagem pelo Palmeiras (Foto: Divulgação/SEP) Foto: Gazeta Esportiva "O momento é…

Apresentado no Palmeiras nesta sexta-feira, Vanderlei Luxemburgo falou sobre as cobranças da torcida e pressão por futebol ofensivo. Após uma temporada sem títulos, há a expectativa por mudanças no estilo de jogo proposto por Felipão e Mano Menezes em 2019.

Luxa inicia sua quinta passagem pelo Palmeiras (Foto: Divulgação/SEP)

Luxa inicia sua quinta passagem pelo Palmeiras (Foto: Divulgação/SEP)

Foto: Gazeta Esportiva

“O momento é de expectativa e cobrança. Quando o futebol brasileiro não foi ofensivo? O futebol brasileiro sempre teve um DNA ofensivo. Estamos muito preocupados em esquema tático, números, mas o futebol do Brasil é empírico, diferente, mudar de posição. Se perdermos essas características vamos ficar iguais robôs”, afirmou Luxemburgo.

Com um passado vitorioso no Palmeiras, o treinador afirma conhecer o perfil do clube, mas ressalta que é importante adaptá-lo às características do elenco: “Eu tenho um clube de DNA de Academia. Mas isso não quer dizer que eu não tenho um time técnico, que não possa ser extremamente defensivo. A marcação começa no ataque. Conheço muito bem a história do Palmeiras. Não adianta pensar no Palmeiras sem olhar para os jogadores que eu tenho. Cabe a você distribuir o elenco”.

Após os sucessos de Jorge Jesus e Sampaoli, passou a haver uma pressão geral por futebol ofensivo. No Palmeiras, não foi diferente, afinal, houva a associação entre o estilo pregado pelos treinadores e a falta de títulos.

Reconhecendo o momento de cobranças, Luxemburgo convida os torcedores a estarem do lado da equipe: “O sócio Avanti, que é o carro chefe, vamos convidar a ser o centroavante, não podemos perder esse jogador que é muito importante, ajuda no investimento, ajuda a equipe, a ter um trabalho mais confortável. O torcedor quer time, quer o time jogando”.

“A minha proposta é que o torcedor palmeirense vai jogar dentro do DNA, daquilo que conhecemos. Já vou convidar o torcedor. Venha para nós que precisamos de vocês. Você não consegue montar um time com a torcida longe, com a diretoria longe, com a comissão longe, é um conjunto. Não tenho dúvida que o torcedor vai voltar, vai voltar forte”.

Com sete títulos em quatro passagens pelo Palmeiras, Luxemburgo tenta ter mais um trabalho vitorioso no clube. Ele é o terceiro treinador que mais vezes comandou o Verdão, acumulando 373 jogo, com 226 vitórias, 81 empates e 66 derrotas.

Gazeta Esportiva
Gazeta Esportiva

Fonte