DESTAQUE

Gaciba britânico é melhor que o tupiniquim

Gaciba britânico é melhor que o tupiniquim
Não demorou mais que 13 minutos para o Palmeiras abrir o placar contra o Bahia, graças a um tremendo vacilo do lateral Moisés que desviou bola fácil, o goleiro Douglas teve de se virar para defender parcialmente e Dudu se aproveitar para fazer 1 a 0. O Palmeiras reestreava Vítor Hugo e estreava Luiz Adriano.O…

Não demorou mais que 13 minutos para o Palmeiras abrir o placar contra o Bahia, graças a um tremendo vacilo do lateral Moisés que desviou bola fácil, o goleiro Douglas teve de se virar para defender parcialmente e Dudu se aproveitar para fazer 1 a 0.

O Palmeiras reestreava Vítor Hugo e estreava Luiz Adriano.

O Bahia, sem os palmeirenses emprestados Juninho e Artur, sofria.

Diferentemente do habitual, e ainda bem, o Palmeiras não se retraiu, ao contrário, seguiu martelando em busca do segundo gol.

Que quase saiu dos pés de Luiz Adriano, aos 33′, não fosse uma senhora defesa de Douglas.

O Bahia nem pisava na área alviverde, a não ser um pouco antes, quando Gilberto teve boa chance ao driblar Weverton, chutar quase sem ângulo e Luan evitou o empate.

Aos 40′, outra vez, o Palmeiras quase ampliou com Gustavo Scarpa e Douglas não deixou.

Nove minutos depois, surpresa!

Felipe Melo fez mais uma felipemelada e foi expulso de campo, ao enfiar o braço no rosto de Lucca.

O primeiro tempo terminou só 1 a 0 e ficou barato para o Bahia, diante da boa apresentação palmeirense.

Mas o segundo tempo seria 11 contra 10.

Roger Machado voltou com Arthur Cayke no lugar de Giovanni.

Felipão pôs Thiago Santos no lugar de Zé Rafael.

Nem bem o jogo recomeçou e o VAR entrou em ação para marcar pênalti contra o Palmeiras, com demora, mas com acerto, pois Diogo Barbosa abriu demais o braço.

A estupidez do volante poderia custar caro, mas, novamente aos 13′, Marcos Rocha cobrou lateral na pequena área para Dudu, livre, cabecear e Douglas novamente dar rebote e Dudu desempatar: 2 a 1.

Aos 24′, Luiz Adriano, que estreou bem, saiu e Deyverson entrou diante de 34.275 pagantes.

Artur fazia muita falta ao tricolor baiano e Ramires substituiu Flavio, aos 33′.

Mais uma vez o VAR interveio demoradamente, agora para caçar outro pênalti contra o Palmeiras, em disputa de bola entre Luan e Cayke.

O pênalti é marcado e os jogadores palmeirenses, inutilmente, cercam o apitador.

Gilberto bateu aos 39′ e empatou 2 a 2.

Quinto gol seguido dele, que havia feito três no Flamengo.

Jogo maluco, Gregore recebeu o segundo amarelo ao fazer falta em Dudu e foi embora para deixar 10 contra 10, aos 41′.

Dudu era o nome do jogo que ficou dramático graças a Felipe Melo.

Palhaço, Deyverson se jogou na área como se fosse Neymar.

Dez jogadores para cada lado e dez minutos de acréscimos, graças ao intervencionismo do VAR usado de maneira a ser desmoralizado pela CBF, ao contrário do que se viu na primeira rodada da Premier League, na estreia da ferramenta na liga inglesa.

O Gaciba britânico é melhor que o tupiniquim.

(Se alguém não sabe, Leonardo Gaciba é o chefe do apito na Casa Bandida do Futebol).

O Palmeiras seguia sem ganhar no Brasileirão e perdia a chance de colar a um ponto do Santos, ficando a três.

O Bahia volta feliz para casa. Roger Machado mais feliz ainda.

Nos outros dois jogos, o Botafogo venceu o Athletico por 2 a 1 e o Avaí seguiu sem vencer ninguém, ao empatar 2 a 2 com o Cruzeiro,

Fonte