PALMEIRAS

Empate no clássico paulista | Mano diz que Palmeiras merecia vencer Corinthians e não fala em secar o Fla

Empate no clássico paulista | Mano diz que Palmeiras merecia vencer Corinthians e não fala em secar o Fla
Para Mano Menezes, o Palmeiras merecia deixar o Pacaembu na noite deste sábado com uma vitória no clássico diante do Corinthians. O treinador afirmou que sua equipe foi muito superior no segundo tempo e diz que o pênalti batido por Gustavo Scarpa não poderia ter sido perdido.Bem-humorado com o empate arrancado nos acréscimos, o comandante…

Para Mano Menezes, o Palmeiras merecia deixar o Pacaembu na noite deste sábado com uma vitória no clássico diante do Corinthians. O treinador afirmou que sua equipe foi muito superior no segundo tempo e diz que o pênalti batido por Gustavo Scarpa não poderia ter sido perdido.

Bem-humorado com o empate arrancado nos acréscimos, o comandante ainda brincou com o fato de o jogo ter sido disputado em um sábado e não no domingo.

“O Palmeiras fez um bom clássico, um pouco mais parelho no primeiro tempo, mas muito desigual no segundo. Acho que ficou unânime a condição da segunda parte do jogo. Acredito que ela também tenha a ver com as decisões da semana, de levar só os que estavam mais inteiros para quarta-feira, pensando na vitória no clássico. A gente criou muitas oportunidades claras. Perdemos um pênalti, em uma hora importante do jogo. Seria, provavelmente, um passo importante para construirmos a vitória, mas deixamos escapar. Levamos um gol faltando dois, três minutos, com um chute espetacular no ângulo, mas ainda tivemos força para criar mais duas oportunidades, quase viramos o jogo. A gente não sai contente completamente, porque não conseguiu vencer, mas entendemos que a equipe se entregou, criou as oportunidades, faltou o detalhezinho. Talvez porque fosse sábado à noite, que não é dia de clássico. Se fosse domingo talvez teríamos vencido”, afirmou o técnico.

Depois, em outra resposta, Mano reiterou o peso do pênalti perdido pelo camisa 14, no terço final da partida. Walter defendeu a cobrança de Scarpa e calou o Pacaembu.

“Em um momento como aquele, a penalidade máxima precisa ser convertida. É um clássico, com valor importante, construindo a jogada como a gente estava construindo, é fundamental para tentar construir a vitória”, afirmou. “Penso que jogamos para merecer vencer, mas o futebol nem sempre é um jogo de justiça. E hoje foi a nossa vez de pagar a conta”, completou.

Agora com sete pontos de diferença para o Flamengo, o Alviverde precisa torcer pelo Bahia na partida das 18h de amanhã, no Rio de Janeiro. Mano Menezes evitou falar sobre as chances de o Alviverde continuar buscando o bicampeonato

“Não sabemos, o Flamengo pode perder amanhã e aí diminuiríamos em um ponto. O secador do Flamengo não tem tido muita felicidade, o Flamengo tem tido mérito. Mas é importante a gente fazer a nossa parte, tenho falado muito sobre isso. Levamos o sentimento para casa hoje de que merecemos construir a vitória, escapou por detalhes do jogo”, finalizou.

Veja outras declarações de Mano Menezes

O time estava nervoso?

A primeira parte do jogo a gente recuperou muita bola, mas perdemos imediatamente depois de recuperar, porque conduzimos muito, carregamos em demasia. Escolhemos alguns caminhos errados. Nós tínhamos um caminho pela esquerda muito aberto. O Coelho fechou o Jr. Urso para marcar na hora de defender e não tinha ninguém para pegar o Diogo. Poderíamos fazer dois contra um mais vezes como fizemos no segundo tempo. Essas pequenas correções fizeram a equipe melhorar. E ansiedade pode vir junto com determinados jogos. Hoje, eu estava olhando o Bayern e o Borussia e o primeiro tempo foi parecido com o nosso. Às vezes tem a ver com o momento e traz o componente que a gente tem que saber. Vai estar presente sempre em jogos grandes e temos que dosar a vontade, decisão com os gestos técnicos.

Meio-campo é um problema?

É uma posição que temos oscilações ainda. Eu sempre procuro montar as equipes com uma ideia de mais dois atacantes e um deles de beirada que ganhe em capacidade de se juntar aos homens de meio. Acho que o time fica mais completo assim. O Willian entra numa condição que você perde um pouco a capacidade de armar mais. Temos que ir ajustando isso. A equipe melhorou na construção, mas precisa ser mais estável na construção, mais qualificada. Vale para a função de meia, vale para uma equipe como o todo e a incumbência desse jogador. Vamos dar maturidade para entender as escolhas, para acelerar o jogo e quando dar ritmo. Controlar mais o jogo. Atacar espaço para aproveitar a situação que o adversário te dá. E aproveitar quando está com a visão descoberta. É essa a hora de atacar.

Chance de usar Luiz Adriano

Você sempre quer contar com todos e o aproveitamento do Luiz Adriano tem sido muito bom, em relação à chance que tem e o gol que marca. Mas o Deyverson quase fez de cabeça, o Borja poderia ter feito e ele chutou por cima. Não estaríamos aqui falando disso. Não quero ser injusto com os jogadores que entraram. Me parece unânime a qualidade que o Luiz tem. Ele sentiu um desconforto, existiu o risco de você ter um rompimento de fibra, que não aconteceu, mas se colocássemos em campo teríamos esse risco. Um rompimento significaria quatro, cinco semanas. Se todos acham ele muito importante, você perder já encerraria o campeonato e entendemos que não deveríamos correr esse risco.

Fonte