PALMEIRAS

Coronavírus afeta cofres dos clubes | Por causa de pandemia, ex-Palmeiras pode ser despejado de casa no Chile

Coronavírus afeta cofres dos clubes | Por causa de pandemia, ex-Palmeiras pode ser despejado de casa no Chile
Classificação e JogosLibertadores O atacante argentino Pablo Mouche, que defendeu o Palmeiras, está correndo risco de ser despejado da casa onde mora, em Santiago (Chile), devido à crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).De acordo com o jornal "El Mercurio", o Colo Colo, clube que ele defende desde o ano passado, ainda não…
Classificação e Jogos

O atacante argentino Pablo Mouche, que defendeu o Palmeiras, está correndo risco de ser despejado da casa onde mora, em Santiago (Chile), devido à crise econômica decorrente da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

De acordo com o jornal “El Mercurio”, o Colo Colo, clube que ele defende desde o ano passado, ainda não pagou o aluguel relativo ao mês de abril do imóvel. O jogador já foi notificado do atraso e avisado de que pode ser obrigado a deixar a residência se a dívida não for quitada.

O contrato firmado entre Mouche e a equipe chilena prevê que ela é a responsável por pagar mensalmente o aluguel de 2 milhões de pesos (algo em torno de R$ 20 mil) da casa onde o atacante vive com sua família.

A Blanco y Negro S/A, empresa que administra o futebol do Colo Colo há mais de uma década, admite a existência da dívida. No entanto, afirma que não tem condições jurídicas de regularizar a situação do aluguel.

O motivo é o fato de o clube ter aderido ao Programa de Proteção do Emprego, criado pelo governo chileno para impedir uma onda de desemprego em massa no país por conta das perdas econômicas provocadas pelo novo coronavírus.

Pela lei, o Colo Colo suspendeu os contratos de todos os jogadores do seu elenco profissional por até três meses. Nesse período, ele se comprometeu apenas a manter em dia os planos de saúde e o seguro social dos funcionários. De acordo com a Blanco y Negro, qualquer outro pagamento (como o do aluguel de Mouche) é irregular.

Pelo sistema, o governo do Chile assumiu a responsabilidade de arcar com os salários dos atletas. No entanto, o valor desse subsídio não é integral e, dependendo do caso, pode chegar a apenas 30% do rendimento normal.

A adesão do Colo Colo ao programa provocou uma pesada queda de braço entre os administradores do clube e os jogadores.

Os atletas querem ser reembolsados integralmente, ao longo dos próximos três anos, pelo dinheiro que deixarão de ganhar no período da suspensão dos contratos. Mas a Blanco y Negro se comprometeu a devolver apenas 50% desse valor. O impasse ainda não foi resolvido.

O Campeonato Chileno foi paralisado no dia 18 de março, em meio à disputa da oitava rodada. O Colo Colo ocupava apenas a 13ª colocação, com sete pontos conquistados em sete jogos. Na Libertadores, o time está na lanterna do Grupo C, atrás de Jorge Wilstermann, Peñarol e Athletico Paranaense.

Mouche chegou ao Palmeiras em 2014, no pacotão de reforços estrangeiros contratados a pedido do técnico Ricardo Gareca, fez parte do elenco campeão da Copa do Brasil do ano seguinte e emendou cinco empréstimos (Lanús, Estrela Vermelha, Olimpia, Banfield e San Lorenzo) antes de se transferir para o Colo Colo.

Segundo informações da OMS (Organização Mundial de Saúde), a pandemia da Covid-19 infectou até o momento mais de 4,8 milhões de pessoas em quase todos os países do globo. O número de mortes decorrentes da doença já ultrapassou a casa dos 323 mil.

Fonte